Pesquisar
Close this search box.

O mel é o produto apícola mais consumido no mundo e por ser um adoçante natural, geralmente é utilizado como forma de substituir o açúcar refinado. Mas, apesar de ser conhecido pelo seu poder adoçante, o mel é um alimento de alta qualidade, fornece energia e diversas substâncias que contribuem para um bom funcionamento do organismo.  A composição química do mel faz desse ingrediente um grande aliado para aumentar a imunidade e assim tornar o organismo mais resistente às doenças do trato respiratório, como gripes, resfriados e dores de garganta.

Dentre as substâncias presentes no mel, destacam-se vitaminas, minerais e compostos bioativos, como os ácidos fenólicos e flavonoides. Estes, por sua vez, têm como principal característica, combater os radicais livres que causam estresse oxidativo e podem potencialmente danificar moléculas biológicas, tais como proteínas, lipídeos, hidratos de carbono e DNA. Por este motivo, os compostos bioativos presentes no mel têm a função não só imunomoduladora, mas também efeito preventivo no combate a doenças crônicas, como doenças cardiovasculares, câncer, obesidade e diabetes. Além disso, o mel pode conter boas quantidades de colina, que é uma vitamina do complexo B (B8), essencial para função cerebral e cardiovascular, bem como para a composição da membrana celular.

Entretanto, o público vegano também possui alternativas que se assemelham as propriedades do mel e que podem ser encontradas no mel de caju, melado de cana, agave e néctar de coco. Esses, possuem em comum a ação imunomoduladora, uma vez que possuem minerais e vitaminas com ação antioxidante e anti-inflamatória, combatendo os radicais livres e consequentemente impedindo a oxidação das células, melhorando a microbiota intestinal e também a absorção de nutrientes.

Composto por cerca de 80 a 90% de carboidratos. O aroma, paladar, cor, viscosidade e propriedades funcionais variam de acordo com o tipo de flor que foi extraído o néctar e também com a espécie da abelha. Porém, condições ambientais como tipo de solo, clima, o modo como é recolhido e posteriormente processado também influenciam nessas propriedades.

Benefícios do mel:

Existem uma variedade de tipos de mel, porém há 11 deles que se destacam por suas peculiaridades, apesar de alguns não serem tão facilmente encontrados no mercado convencional.

 

foto freepik 

Mel da abelha Apis Mellifera:

1. Laranjeira: mel com coloração mais clara, muito apreciado pelos consumidores pelo seu sabor e aroma. É antioxidante e também indicado para combater insônia e ansiedade, pela sua ação relaxante e tranquilizante.
2. Eucalipto: mel mais escuro, rico em minerais e geralmente utilizado como expectorante. Alivia as dores de garganta, tosse, sinusite e resfriados.
3. Cipó-uva: mel com coloração que varia tanto do amarelo-claro, quanto amarelo-escuro, variando ano a ano de acordo com a região e o clima, possui aroma que agrada muitos consumidores. Destaca-se pela melhora da digestão, cólicas, no combate a doenças hepáticas, renais e uterinas. Além de ser antioxidante, também é rico em cálcio, ferro, magnésio e potássio.
4. Bracatinga: mel muito escuro e com sabor peculiar, rico em minerais, não cristaliza, é anti-inflamatório e antioxidante, com mais oligossacarídeos (fibras) e menos glicose e frutose, quando comparado ao mel floral.

Mel das abelhas sem-ferrão:

5. Uruçu: mel claro e amarelado, levemente ácido. Possui propriedades antibacterianas, um alto teor de água, é rico em antioxidantes e propriedades energéticas.
6. Mandaçaia: mel mais claro, quase transparente, levemente cítrico. Possui propriedade antimicrobiana.
7. Jataí: mel claro, levemente ácido, muito utilizado devido as suas propriedades medicinais. Pode ajudar a amenizar os sintomas da gripe, com ação descongestionante.
8. Tiúba: mel com gosto ácido e menor teor de açúcar, rico em minerais e baixa viscosidade.
9. Borá: este é um mel peculiar, possui sabor levemente salgado e possui aroma que lembra queijo. Possui propriedades anti-inflamatórias e é um antibiótico natural.
10. Jandaíra: mel levemente ácido e usado na cultura nordestina como produto medicinal. É muito utilizado para auxiliar na cicatrização de feridas.
11. Mandaguari: mel mais viscoso, sabor levemente amargo. Possui propriedades antibacterianas.

foto freepik 

Opções veganas para substitui o mel de abelha:

Mel de caju: é extraído do caju, é feito por meio da cocção e redução do suco de caju, processo que carameliza os açúcares da bebida e a transforma em uma espécie de melado, o que contribui para o sabor doce.

É um mel riquíssimo em vitamina C (possui seis vezes mais do que a fruta in natura) e também possui ferro, sendo ideal no tratamento de anemias, uma vez que ajuda a potencializar a absorção de ferro não-heme (vegetal) no organismo.

Melado de cana: É o ingrediente que concentra todos os nutrientes que foram retirados do açúcar refinado. Possui sabor agridoce e cor escura, com uma tonalidade preta acastanhada.

O melado de cana é rico em potássio, cálcio, ferro, zinco, fósforo, magnésio, manganês e algumas vitaminas do complexo B como por exemplo a niacina (Vitamina B3), riboflavina (vitamina B2) e tiamina (vitamina b1).

Benefícios:

Agave: Conhecida como agave-azul, a Agave tequilana é uma espécie de planta nativa do México e de algumas regiões dos Estados Unidos. A seiva de agave-azul é popularmente utilizada como um adoçante natural que substitui o açúcar, conhecido como mel de agave ou xarope de agave. É um antioxidante natural e tem ação probiótica, uma vez que estimula o desenvolvimento de bactérias benéficas no intestino.

Benefícios:

Néctar de coco: é extraído da seiva da flor do coqueiro, considerado uma alternativa culinária para substituir o agave e/ou o mel. Possui em sua composição vitaminas do complexo B, vitamina C e minerais, como potássio, ferro, zinco e magnésio.

Benefícios:

Agora que você conhece as diferentes formas deste elixir dourado e como potencializar suas refeições no dia a dia, não deixe de passar em uma das 140 lojas Cia da Saúde!

Facebook
YouTube
LinkedIn
Instagram