23 / nov

Você sabe conservar seus temperos?

Dicas

Os temperos naturais apresentam inúmeras substâncias boas para a nossa saúde, portanto, além de darem mais sabor às preparações, trazem muitos benefícios! Ao contrário dos temperos industrializados, que são ricos em sódio, conservantes, corantes, entre outros aditivos químicos e além do mais, não possuem valor nutricional algum.

Mas alguns cuidados são essenciais para conservar melhor as propriedades nutricionais, além de textura, cheiro, sabor e cor destes alimentos!

O cuidado deve começar já no momento da compra: é requisito básico verificar a data de fabricação e validade do produto, dando preferência à fabricação mais próxima da data de compra. Para os alimentos frescos, é importante verificar se estão armazenados em local apropriado, em refrigeração e a frequência de reposição dos mesmos.

Já em casa, temos algumas dicas do armazenamento para diferentes tipos de temperos:

Temperos secos ou em pó: são os que passaram por desidratação. Hoje em dia encontramos várias opções, como: manjericão, orégano, salsa, cebolinha, cebola, alho, colorau, cominho, noz-moscada, canela, cúrcuma, pimenta do reino, entre outros. Esses temperos podem ser armazenados em potes tampados (preferencialmente de vidro), e guardados em local onde não tenha muita incidência de luz ou calor, como por exemplo, dentro do armário. Caso prefira deixar mais à mão, perto do local de preparo, o ideal é manter longe do fogão, e em potes opacos ou de vidro escuro, para evitar que sejam oxidados pela luz.

Ervas frescas: esses são os temperinhos in natura. O local ideal para conservar é na geladeira! Se quiser mais praticidade, higienize-os assim que chegar em casa, pique e coloque no freezer.

Sal: também é um tempero que deve-se ter cuidado no armazenamento. A umidade pode comprometer a qualidade, portanto o ideal é que seja guardado em recipiente fechado e dentro do armário.

Óleo e azeite: é comum esses alimentos serem deixados próximos ao fogão, porém não é indicado devido ao calor mais elevado que vai acelerar a oxidação. O mais indicado é armazenar dentro de um armário onde não sofra alteração de temperatura ou incidência de luz. Outros pontos importantes no momento de comprar esses ingredientes são: a acidez (inferior a 0,5), dar preferência ao extra virgem, embalagens em vidro escuro, data de fabricação (quanto mais novo melhor), procedência e origem (muitos são produzidos em um local e envasados em outro. Dê preferência a produtos produzidos e envasados no mesmo local). Fique atento também à conservação no ponto de venda! Estes produtos devem estar em locais com pouca incidência de luz e calor.

Essas informações não dispensam o acompanhamento de médicos ou nutricionistas.

Letícia Longhi Rocha
Nutricionista – CRN 10-3814

NOVIDADES E LANÇAMENTOS

Fique por dentro de todas as novidades exclusivas.

    SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS: