Pesquisar
Close this search box.

DIA NACIONAL DA SÍNDROME DE DOWN

A data de hoje tem um significado muito maior do que celebrar o amor ao portador da Síndrome de Down, é uma data importante para realizarmos ações em prol destas pessoas que enfrentam dificuldades no seu dia a dia, e assim, contribuirmos com a melhora na sua qualidade de vida. Falaremos brevemente sobre a alimentação dos portadores desta alteração genética.
Os portadores de Síndrome de Down nascem com hipotonia, que é uma alteração na sua musculatura, ou seja, são mais “molinhas”. Consequentemente, gastam menos energia do que outras crianças e podem apresentar tendência à obesidade ao longo da vida. Esta condição pode estar presente também no processo digestivo, levando a constipação intestinal (prisão de ventre) crônica, pois o tecido muscular do intestino grosso não consegue realizar os movimentos peristálticos com sua devida eficiência para expelir as fezes.
Uma alimentação saudável é importante para todos nós, mas se você convive com um portador de Síndrome de Down, saiba que dar atenção especial à alimentação do mesmo vai trazer mais benefícios ainda, os quais passam despercebido por quem não têm essas alterações digestivas.
Quando criança, os portadores têm dificuldade na mastigação, condição que pode ser apresentada por adultos também, o estimulo à mastigação através da escolha certa de alimentos, assim como o trabalho em conjunto com um fonoaudiólogo são necessários. Outro ponto a ser observado é que o consumo de alimentos pode ser elevado devido à dificuldade em se sentirem saciados, como consequência o ganho de peso é preocupação frequente.
A oferta de alimentos deve ser ajustada a idade, a incorporação de bons hábitos alimentares graduais e contínuos, acompanhados por um nutricionista é de fundamental importância. O acompanhamento antropométrico também se faz necessário.
Alimentos refinados, açucarados, industrializados e gordurosos devem ser evitados desde a infância, assim como massas e tubérculos devem ser ofertados com moderação. Já alimentos ricos em fibras como mamão, laranja, pera, aveia, linhaça, quinua e vegetais devem sempre estar presentes.
Preparar refeições pequenas, fracionadas, coloridas e ajudar o portador a entender a diferença entre gula e saciedade também são aspectos importantes.
Alimentos ricos em vitaminas e minerais que estimulem o sistema imunológico, assim como, substâncias antioxidantes e que estimulem o sistema neurológico também devem estar presentes. A suplementação pode ser interessante sempre com o acompanhamento de um profissional habilitado.
Essas informações não dispensam o acompanhamento de médicos ou nutricionistas.

Francieli Cristina Barbosa
CRN10 – 2862

Fontes:

Alimentação de crianças com síndrome de Down


http://www.nutricio.com.br/alimentacao-sindrome-de-down.htm

Compartilhe:

Posts Relacionados

Facebook
YouTube
LinkedIn
Instagram