02 / out

Hibiscos e suas propriedades antioxidantes

Inaugurações

O Hibiscus sabdariffa L. é conhecido popularmente como hibisco, é uma espécie vegetal da família Malvaceae proveniente da África Oriental e foi introduzido no Brasil pelos escravizados. O interesse econômico está nos cálices desidratados, utilizados mundialmente para a produção de bebidas, alimentos e conservantes. A planta é rica em vitamina C, antocianinas, beta-caroteno, licopeno, polifenóis e outros antioxidantes solúveis em água.

O Hibisco além de possuir propriedades antioxidantes e ter um valor representativo de antocianinas, vitamina C e polifenóis, é utilizado tanto como alimento funcional como planta medicinal, na forma de chá. É tradicionalmente utilizado como diurético, para tratamento de desordem intestinal, infecções hepáticas, febre e hipertensão.

Em busca de mais alimentos ricos em compostos fenólicos e consequentemente com alta atividade antioxidante, a indústria alimentícia já se utiliza dos benefícios do hibisco, tanto de suas folhas quanto do cálice, que é a parte da corola composta pelas pétalas de intensa coloração vermelha. Os compostos fenólicos são substâncias que existem principalmente nas plantas, como é o caso do hibisco, mas que podem também ser provenientes do catabolismo dos aminoácidos. A importância dada a estes compostos deve-se ao fato de muitos possuírem propriedades benéficas para a saúde humana. Os compostos fenólicos apresentam múltiplas atividades biológicas, tais como: propriedades anti-tumorais, anti-mutagénicas, anti-inflamatórias, anti-bacterianas e antioxidantes, por protegerem as células contra os danos oxidativos.

Além disso, o hibisco, pode ser utilizado em sistemas alimentares para prevenir a contaminação bacteriana. Aumenta a vida útil dos alimentos pela capacidade bacteriostática e bactericida e, posteriormente, atrasando o começo da deteriorização e crescimento de microorganismos indesejáveis.

A orientação é consumir 400 ml de chá de hibisco. Para cada copo de 200ml de água quase fervida, quando começar a aparecer as primeiras bolhas de fervura, deve ser utilizado de 4 a 6 gramas da flor seca, equivalente a uma colher de chá, abafar e deixar em infusão por 5 a 10 minutos.

Essas informações não dispensam acompanhamento do médico ou nutricionista.
Michele Gonçalves
Nutricionista CRN10: 3378

Fontes:

SILVA, A. Caracterização antibacteriana, química e fitoquímica de flores de Hibiscus rosa-sinensis L.(mimo-de-vênus) e Hibiscus syriacus L.(hibisco-da-síria) como fonte de alimento. 2014.
ROSA, E. Características nutricionais e fitoquímicas em diferentes preparações e apresentações de Hibiscus sabdariffa L.(hibisco, vinagreira, rosela, quiabo-de-angola, caruru-da-guiné)-Malvaceae. 2013.
GUINDANI, M. et al. Estudo do processo de extração dos compostos fenólicos e antocianinas totais do hibiscus sabdariffa. Blucher Chemical Engineering Proceedings, v. 1, n. 2, p. 4496-4502, 2015.
DOS SANTOS, U. et al. Avaliação de potencial de ervas medicinais: capim-limão (cymbopogon citratus dc), chá verde (camellia sinensis l.) e hibisco (hibiscus sabdariffa l.) para obtenção de chás solúveis. GEINTEC-Gestão, Inovação e Tecnologias, v. 4, n. 4, p. 1399-1408, 2014.
ROSA, E. Características fitoquímicas e atividade antibacteriana em Hibiscus sabdariffa L. Malvaceae (vinagreira, hibisco) cultivado na Comunidade Quilombola do Limoeiro, Palmares do Sul, RS. 2013.

NOVIDADES E LANÇAMENTOS

Fique por dentro de todas as novidades exclusivas.

    SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS: