24 / set

Coenzima Q10 um forte aliado a saúde

Inaugurações

A coenzima Q10 (CoQ10) é uma provitamina lipossolúvel sintetizado em nosso organismo ou encontrada em alimentos como a carne vermelha, peixes, cereais, brócolis e espinafre, que desempenha um papel fundamental no metabolismo energético, e na proteção antioxidante das nossas células. Também conhecida como ubiquinona, esta coenzima encontra-se em todas as células do nosso organismo, mas principalmente nas células que necessitam de um fornecimento superior de energia, como é o caso das células musculares, em especial do coração e músculo esquelético. Além disso, apresenta propriedades antioxidantes e potencial no tratamento de doenças neurodegenerativas e neuromusculares.

A coenzima Q10 aumenta a produção de ATP (Adenosina Trifosfato – a energia que é transferida para outras moléculas) e a respiração celular cardíaca, facilitando o incremento das contrações cardíacas, melhorando a utilização de oxigênio e reduzindo o esforço cardíaco. O coração humano possui altas concentrações de coenzima Q10 e possui alta demanda de energia. Deficiências de coenzima Q10 está associada com doenças cardíacas, enquanto que níveis aumentados desta coenzima fortalecem a musculatura cardíaca, evitando arritmias e diminuindo a pressão sanguínea, fatores importantes na prevenção de ataques cardíacos.

O interesse pela coenzima Q10 tem aumentado nos últimos anos, principalmente devido à capacidade de transferir elétrons e atuar como antioxidante. Na sua forma reduzida a coenzima Q10 é um poderoso antioxidante que previne os danos oxidativos caudados pelos radicais livres, incluindo a oxidação de lipídeos na membrana micocondrial.

A coenzima Q10 também está relacionada a vários outros processos fisiológicos além dessa sua potente atividade antioxidante (similar à vitamina E). Estimula o sistema imunológico, especialmente a atividade dos fagócitos e outras células do sistema. Possui ação protetora dos tecidos gástricos e duodenais, propriedade que está associada à cadeia lateral da sua estrutura química. Tem a propriedade de conter a histamina e outros mediadores de sua produção, importante contra doenças respiratórias como asma.

Além disso, a coenzima Q10 tem a capacidade de inibir a esteroidogênese, o que está relacionada à diminuição das taxas de secreção de aldosterona e da pressão arterial. A CoQ10 é portanto, indicada em manifestações como diabetes, hipertensão, lupus eritematoso, astenia muscular, esclerose múltipla, doenças respiratórias, úlcera, doença de Alzheimer, esquizofrenia e nas deficiências dos níveis desta coenzima, que diminui em cerca de 80% com o envelhecimento.

Outras aplicações da coenzima Q10 incluem: a sua eficácia no tratamento e melhoria da qualidade do sêmen em homens com infertilidade idiopática, a administração de coenzima Q10 a crianças com síndrome de Down, em uma tentativa de neutralizar ou diminuir o desequilíbrio oxidativo encontrado nestes casos; a suplementação de coenzima Q10 em pacientes com câncer de mama e mais recentemente, a utilização no tratamento da enxaqueca.

Essas informações não dispensam acompanhamento do médico ou nutricionista.
Michele Gonçalves
Nutricionista CRN10: 3378

Fontes:
SANTOS, S. R. N. Aspectos bioquímicos e moleculares da coenzima Q10. 2011.
OLIVEIRA, Ryane Silva; CASTRO, Ângelo Soares; RIBAS, José Lázaro Lins. Ação do complexo da coenzima Q sob efeito do ácido α-lipoico (ALA) no tratamento da fibromialgia: Uma revisão. Revista de Ciências Médicas e Biológicas, v. 10, n. 1, p. 71-76, 2011.
MACHADO, C. S. Possíveis efeitos citoprotetores do antioxidante da dieta coenzima Q10 em modelo de células neuronais. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo. 2011.
YEN, Chi-Hua et al. The antioxidant status and concentrations of coenzyme Q10 and vitamin E in metabolic syndrome. The Scientific World Journal, v., 2013.

NOVIDADES E LANÇAMENTOS

Fique por dentro de todas as novidades exclusivas.

    SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS: